@ Phase 108.1

quinta-feira, 26 de março de 2009

NOTÍCIAS DE CASA



No próximo dia 8 de Abril, a Íntima Fracção completa 25 anos. Exacto. Um quarto de século. Naquela noite de Abril de 1984 entrei nos estúdios da Antena 1 (em Coimbra, na Rua José Alberto dos Reis) com uma mala cheia de discos, alguns livros e um caderno de apontamentos onde guardara previamente algumas notas. Depois, à meia noite, entrei em directo "no ar", num estúdio onde já há cinco anos fazia muitas outras coisas.

Para quem não conhece a história, não é agora que a vou contar. Há, no entanto, mesmo para os que a conhecem, meia dúzia de coisas que nunca contei. Isso vai acontecer brevemente. Não que tenham importância, julgo, mas já agora fica quase tudo contado. E digo "quase" porque a memória não consegue abranger em pormenor todos estes 25 anos.

Do que tenho a certeza é que a 8 de Abril de 1984 eu não tinha a mais pequena ideia que a Íntima Fracção existiria 25 anos depois. É que uma semana antes de ela ir para o ar tinham-me comunicado que eu iria ser dispensado da RDP !

A grande alegria é que sempre gostei de a realizar. Necessitava (necessito ?) disso. E, além do mais, uma parte da minha vida era ganha com a IF, Pagavam-me condignamente para a fazer, Pelo menos durante 20 anos. Depois, sabemos do que a rádio gasta nos tempos que correm. Daí o podcast (http://feeds.feedburner.com/Expresso-Intima-Fraccao), o blog e o mp3, e o exílio da antena desde há um ano (não conto com a experiência espanhola, que não tenho conseguido levar a sério, nem a mais ou menos clandestina passagem na RUC da qual nada sei neste momento).

No 25º aniversário decidi fazer qualquer coisa que ultrapasse um simples programa comemorativo. Estão desenhadas algumas iniciativas e uma pequena festa/conversa/mini-concertos (enfim, mais ou menos íntima), agendada para os últimos dias de Abril ou princípios de Maio, em Lisboa, em local que não posso ainda divulgar.

A IF vai ser objecto de uma atenção especial que vou abrir a alguns media, estando já solicitada por um desses meios a listagem actual das minhas 25 escolhas em termos de nomes (não de temas ... que seria impossível).

A colectânea, há muito prometida, poderá ter uma tiragem quase privada para amigos e seguidores (a menos que o Expresso resolva pegar na sua distribuição). Haverá um pequeno lote de marchandise, para além do CD.

Dentro de dias serão anunciados pormenores. Datas e locais.
Conto com todos os amigos da IF, mesmo com os que não conheço, mas que me continuam a fazer chegar mensagens tocantes.

É evidente que embora goste de fazer a Íntima Fracção, ela não teria sobrevivido até aos 25 anos de produção sem o "misterioso contacto do coração" com os seus ouvintes.

Obrigado !

9 comentários:

Hugo Pinto disse...

Boas notícias.
Um grande abraço.

Anónimo disse...

Muitos parabéns e força para continuar!
Entretanto aproveito para informar todos os ouvintes e seguidores da IF que aqui na «Irmandade do Éter» será publicada a emissão comemorativa dos cinco anos da «Íntima Fracção», transmitida em directo no dia 10 de Abril de 1989 na RDP-Antena1, onde o autor Francisco Amaral conta a história do programa desde a origem até essa data de há vinte anos.

Saudações radiofónicas
Francisco Mateus

Hugo Pinto disse...

Mais boas novas... Serviço público, é o que é.

Zito disse...

e como ouvinte também tenho que dizer obrigado por estes 25 anos de partilha e tanta dedicação.

e que a IF continue por muitos mais anos :)

raquel disse...

que post tão bonito. é tão bom ler sorrisos destes. um brinde e obrigada!

Anónimo disse...

Não sou ouvinte da IF desde o seu inicio. Confesso que a descobri em meados dos anos 90, altura em que estava contagiado pelos virus e pela sonoridade XFM. Guardo na memoria sensações unicas proporcionadas pela IF, na altura no horario 1-3h nas madrugadas de 2ª na TSF. Tenho saudades de atravessar a serra do Marão ao som da IF. Ouvir pela net não tem a mesma magia.
Um grande bem haja ao Francisco.
Carlos Leitão

Nídio Amado disse...

Caro Francisco, um grande Obrigado. Por tudo.

Abraço

Ri.Ma. disse...

Abraço, Francisco. Belas notícias

P. Esteves disse...

lá nos encontraremos!
abraço