@ Phase 108.1

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Crónica ex-Rádio















Ensaísta, escritor, cronista, pensador e grande humanista. Um homem de profundos afectos morreu no passado dia 7 de Dezembro. Num Domingo, em casa, deprimido e esquecido pela esmagadora maioria dos media portugueses.
Muita gente já não se lembra, ou nunca chegou a ouvir, as magníficas crónicas de António Alçada Baptista nas manhãs da Rádio Comercial na primeira metade dos anos 80, manhãs então conduzidas pelo jornalista Carlos Pinto Coelho.
Hoje são poucos, ou por ventura nenhuns, os cronistas que povoam as nossas rádios de referência que tenham a dimensão humanista e filosófica de Alçada Baptista. Os principais cronistas de hoje são políticos no activo, alguns encontram-se no pós-activo, ou a querem estar no teatro da política. Servem-se do palco dos mass media – neste caso, da Rádio – para servirem os seus interesses particulares e outros. Interesseiros ou interessados, com sede ao pote ou com vontades revanchistas, eles “andam por aí” e espalham o “Vírus” da politiquice.
Outro é o Tempo, outro é o Modo. Que falta nos fazem as crónicas diárias de António Alçada Baptista na Rádio em Portugal… que falta.








A notícia foi publicada no «Diário de Notícias» do passado Sábado, dia 13 de Dezembro: Media Capital inicia despedimento de jornalistas Rádio. SJ vai apresentar queixa à Autoridade para as Condições de Trabalho. Sindicato considera propostas de demissão "inaceitáveis".
O renovado Rádio Clube Português, que em Janeiro de 2007 prometia vir a ser uma estação de referência, disputando a qualidade e quantidade da informação da TSF, Rádio Renascença e Antena1, está agora a desinvestir nos activos humanos. Contrataram para depois despedir, com o objectivo de reduzir custos. A globalização da especulação também acontece nos órgãos de comunicação social e, por conseguinte, no mundo da Rádio. A esta hora nas rádios do grupo Media Capital há radialistas, gente da Rádio, com os sonhos desfeitos. Ninguém pode estar contente com uma situação destas. Este ano o Natal é frio e sem luzes na Rua Sampaio Pina em Lisboa.

Notícia DN aqui
Comunicado SJ aqui

1 comentário:

Francisco disse...

Digamos antes, meu caro amigo, que este ano o Natal é frio e sem luzes em quase TODAS as ruas. Pergunto-me mesmo se vai continuar a haver Natal ! Pelo menos nas casas dos "bem intencionados" e, quem sabe, dos "pobres de espírito", se é desses o reino dos céus ...