@ Phase 108.1

terça-feira, 26 de outubro de 2010

A Escura Noite da Alma
























O álbum do colectivo Danger Mouse And Sparklehorse Team Up With David Lynch esteve para não conhecer a luz do dia.
Problemas iniciais, já depois do trabalho concluído – e que se prendiam com divergências entre os autores e os responsáveis editoriais – adiaram a publicação da obra «Dark Night of the Soul».
Mais de um ano depois, ultrapassadas as quezílias, «Dark Night of the Soul» foi finalmente editado no dia 12 de Julho deste ano.
O diferendo fez com que o material finalizado fosse sendo distribuído em diversos formatos digitais até à edição oficial.
Houve uma primeira edição contendo um CD virgem, onde vinha incluída a mensagem de protesto: "For Legal Reasons, enclosed CD-R contains no music. Use it as you will".
O disco tem 46 minutos e 18 segundos de música. Neles estão muitos e ilustres convidados: David Lynch, The Flaming Lips, Gruff Rhys, Jason Lytle, Julian Casablancas, Black Francis, Iggy Pop, James Mercer, Nina Persson, Suzanne Veja, e Vic Chesnutt.
O grande obreiro deste notável trabalho colectivo é Danger Mouse (Brian Burton), músico nascido em White Plains, NY, no dia 29 de Julho de 1977.



A linguagem da imagem deste disco está totalmente a cargo do cineasta norte-americano David Lynch, que também canta no álbum.
O ambiente Lynchiano percorre todo o universo visual de «Dark Night of the Soul».
Uma obra única que não se ouve em nenhuma estação de rádio portuguesa.














Alinhamento:

01."Revenge" (featuring The Flaming Lips) – 4:52
02."Just War" (featuring Gruff Rhys) – 3:44
03."Jaykub" (featuring Jason Lytle) – 3:52
04."Little Girl" (featuring Julian Casablancas) – 4:33
05."Angel's Harp" (featuring Black Francis) – 2:57
06."Pain" (featuring Iggy Pop) – 2:49
07."Star Eyes (I Can't Catch It)" (featuring David Lynch) – 3:10
08."Everytime I'm with You" (featuring Jason Lytle) – 3:09
09."Insane Lullaby" (featuring James Mercer) – 3:12
10."Daddy's Gone" (featuring Nina Persson) – 3:09
11."The Man Who Played God" (featuring Suzanne Vega) – 3:09
12."Grim Augury" (featuring Vic Chesnutt) – 2:32
13."Dark Night of the Soul" (featuring David Lynch) – 4:38

Uma muito interessante viagem virtual por símbolos, imagens e sons de «Dark Night of the Soul».
aqui: http://www.dnots.com/

Mais sobre «Dark Night of The Soul» na «Irmandade do Éter».

4 comentários:

Francisco disse...

Ora que estação de rádio querias tu que se abrisse a isto ? ... Ai que tristeza ... e não saber afinal se o público é todo mau ! (mesmo assim, acho que não !)

Anónimo disse...

Os bons suspeitos do costume também não estão a utilizar o manancial de ofertas que é este disco. Nem os 'podcasters'. É isso que me está a inquietar, não as estações nacionais. Dessas já se sabe sempre o que esperar. Tivesse eu a liberdade editorial que já tive durante muitos anos para poder escolher e já este disco tinha passado quase todo na Rádio.

F.M.

Zito disse...

a velha questão do suporte digital vs suporte físico

este disco já é do ano passado
eu 'passei' em Dezembro (bitsound #095)
outros devem ter passado tb :)

Anónimo disse...

Sei que passaste (na altura até trocámos umas impressões sobre o disco na caixa de comentários aqui do blogue) e justiça seja feita à emissão do «Bitsounds» nº95.
Referia-me aos “bons suspeitos do costume” as rádios RADAR, RUM, RUC e RUA (+ alguns programas de autor que ainda existem onde este tipo de música é utilizado). E também aos ‘podcasters’ no plural. Este álbum deveria estar a ser saudavelmente devorado e não está
Mas o argumento de que “este disco já é do ano passado” não colhe. A boa música não tem idade. Estou a falar do novo, não da novidade. Além de tudo, este disco foi oficialmente editado no Verão deste ano. Há escassos meses. Mas valia o mesmo se já tivesse sido editado há muito mais tempo. Como diz José Duarte: “O que é velho e bom é moderno”.

Abraço e as habituais saudações radiofónicas. ;-)
F.M.

P.S: Não ouço tudo o que se faz. Pode ser que outros tenham utilizado este material, mas do muito que ouço não "apanhei" nada.