@ Phase 108.1

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

“Quem” & “Qual?”

Há cerca de cinco anos ouvi uma canção na RADAR que me seduziu particularmente. Depois de dias e dias consecutivos a ouvir a estação Alternativa, tentando descobrir de quem era aquela canção, consegui saber que era dos belgas dEUS. Mas nada sobre o título da canção. Os tempos passaram e desisti da procura. No entanto, a canção ficou-me na memória. Pensei que seria mais um caso, como tantos outros na minha actividade de ouvinte, em que ficaria sem saber “Quem” e “Qual” por muito tempo, possivelmente anos, como aconteceu com temas dos Earth & Fire ou os Chicago. Tentar descobrir pela Rádio o nome de um autor ou o título de uma canção pode ser uma tarefa extremamente árdua. E mesmo que tudo isso seja devidamente anunciado pelo animador, podemos não captar a informação por inteiro, ou não perceber à primeira (única vez) o que foi dito e assim perder-se a mensagem.
Esta semana, graças a um podcast, descobri esse tema que tanto procurara e o título da canção.
O podcast é «Beating The Pearls» (15ª edição) e o tema procurado é a última canção do alinhamento. A dita canção chama-se “Nothing Really Ends” dos supracitados dEUS. E descobri porque os alinhamentos dos podcasts são publicados para que todos possamos identificar “Quem” e “Qual” artista(s) estamos a ouvir. Ora aqui está uma das muitas e grandes vantagens do podcast!
Na era actual, é já demasiado arcaico recorrer a este processo de procura e descoberta de uma simples, mas determinante informação, limitando-se à escuta das estações radiofónicas. É urgente que as rádios – especialmente as de cariz estritamente musical, que é o caso da RADAR – disponham de um dispositivo electrónico [site/blog da estação; visor no telemóvel; iPod; etc.] que faça chegar ao ouvinte em tempo real qual o nome da banda/artista; nome do tema/canção que está a passar no momento. Algumas rádios em Portugal já o fazem através da Internet há algum tempo, nomeadamente a Rádio Comercial e a RFM. E logo estas estações nacionais, cujas músicas que transmitem (sempre através de playlists) não oferecem quaisquer tipo de dificuldades na identificação das músicas, não só por serem quase sempre as mesmas, mas também por quase toda a gente as conhecer de cor e salteado.
Já agora, aproveito para dizer que o podcast «Beating The Pearls» vai na 15ª edição e Zito C. (autor do podcast «bitsounds» e membro da «Irmandade do Éter») está ligado a «beating the pearls». Sobre isso e muito mais falará Zito C. em entrevista a publicar na «Rádio Crítica» no próximo Domingo dia 30.
Voltando à música na Rádio:
Ontem, na mesma RADAR, por volta da hora de almoço, uma outra e nova canção a produzir em mim o mesmo efeito que “Nothing Really Ends”. Agora, nos próximos dias, retomarei o processo de ir ao seu encalço, ouvindo e ouvindo horas ou dias ou meses a fio até descobrir “Quem” e “Qual”. Há coisas que realmente nunca acabam.

dEUS - "Nothing Really Ends" (2001/sessões de gravação)



-----------------------------------------------------------------------------------------------
1967 - O ANO QUE MUDOU A RÁDIO NOS ESTADOS UNIDOS

Sugestão de Rogério Santos, no seu blogue «Indústrias Culturais», de dois livros sobre Rádio de autores norte-americanos: Jack W. Mitchell (Listener supported. The culture and history of Public Radio, 2005) e Jim Ladd (Radio waves. Life and revolution on the FM dial, 1991).





Sem comentários: